segunda-feira, 1 de novembro de 2010

O mal disto tudo é nós termos mamas

O problema começa porque nós temos mamas.

E damos de mamar.
Coisa que ninguém pode fazer por nós.

Ah coitadinha, ela está a chorar, dá-lhe mama.
Ah coitadinho, ele tem fome, dá-lhe mama.

E depois, claro:
Ah, coitadinho, ele cheira-lhe a leite e acalma. Pega tu nele.

Pois, se calhar também acalmava se cheirasse uma vaca.
Não sei, digo eu.

E depois, como nós é que damos mama - nós e mais ninguém - quando eles choram de noite é:
- Ah, se calhar quer mamar, é melhor ires lá tu.

E quando não quer mamar porque mamou há meia hora, é:
- Ah, se calhar é melhor ires lá tu que ela está mais habituada a ti. Tu é que dás mama.

E aqui, aqui, é que as coisas se complicam.

Já não há mama para ninguém mas, na prática, continua a haver.

Elas choram.
- Ah, tu é que deste mama, passam mais tempo contigo, é melhor ires lá tu que elas acalmam mais depressa.

Uma versão sofisticada de simplesmente: Vai lá vaca.

E nós vamos porque não gostamos de ver os nossos filhos chorar.

E se choram de noite, mesmo quando já não temos mama para ninguém, lá vamos nós.
- Ah, elas contigo calam-se logo. Que queridas!

E o grave é que isto vai pela vida fora.
Começa com as mamas e nunca mais acaba.

Quando começam a comer, já se sabe como é a história.
É a lógica da batata.
Tu é que deste leite, tu é que dás sopa de bróculos.
Apesar da sopa de bróculos não me sair pelas mamas.
Mas ok.

Quando começam a andar:
- Ah, que giro, só te quer a ti porque está mais habituado, tu é que lhe deste mama.
E lá ando eu quase de gatas, a agarrar a criança para não cair.
Com as costas todas lixadas. Para não dizer uma palavra que começa por F.
- Que querido, só anda quando é para ir na tua direcção. Sabes, tu é que lhe deste mama.

Sim, mas depois disso também já fui eu - EU - que lhe dei papa Cerelac.
E sopa de peixe e carne.
Com couves e agriões e cenouras e espinafres.
E foi com uma colher.

E depois já não há nada a fazer.
Acordam a meio da noite e gritam: "Mamãããããããããããããã"
Querem água e é a nós que pedem.
Querem ver bonecos, somos nós que pomos.
Para os sentar no carro, temos que ser nós.
Para tudo tudo tudo somos nós.

E nós lá vamos, nós e as nossas mamas, já sem uma pinga de leite.
Dar banhos e jantares e levantar das quedas. E dormir abraçados a eles e dar água e ver bonecos e sentá-los no carro e procurar a moto amarela e o carro verde às riscas. E dar bolachas com chocolate, e leite quente e frio e iogurtes e os bróculos, e os beijos antes de dormir e as fraldas, e o xixi na sanita e limpar o cocó e vestir e sei lá mais o quê. Tudo, tudo, porque temos mamas.

A sorte, a nossa grande sorte, é que há uma coisa que nos ajuda a safar no meio disto tudo.
É o facto de termos mamas.
Graças a Deus.

18 comentários:

Mãe da Tiz disse...

LOLOL!!! Mais uma vez, mãe é mãe. Com ou sem mamas! E eu sou sincera, ADORO a predilecção que a minha filha tem por mim ;)

beijos***

Didi e Pepe disse...

olaola
...
como t compreendo...mas a vantagem do meu marido, a noite, é:ELE N ACORDA NEM COM GRITOS!!!incrivel......

por isso tudo e mais alguma coisa...somos SEMPRE NOS PRA TUDO!!!

boa sorte pra nos!!!
haja saude!!
lia, didi & pepe22m

carmo pinto disse...

bolas revi as cenas cá de casa tb por causa das minhas "mamas"
xiiiii
adorei lerte alias adoro ler te revejo muitos episodios teus que só mundam as personagens lol
bjs e força mamã !

Me... disse...

Que post ma-ra-vi-lho-so!
E super verdadeiro!

Barriguita disse...

LOL!

um texto que me fez rir, apesar de por cá as minhas mamas não terem dado leite a ninguém, infelizmente. mas mesmo sem ter dado mama, está tudo tal e qual como dizes.

fantástico!

jmalho disse...

LOLOL!!

muito me ri com esta grande verdade... eu tb tenho mamas :-)))

bjos é mantem esse sentido de humor fantástico porque é ele que nos vi valendo

JOANA

Filipa Serrão Oliveira disse...

muito bom mesmo, parabéns! excelente post e que verdadeiro!! Por aqui é igual. Ao princípio era porque era mama e só eu é que posso dar. Depois é a sopa porque comigo abre melhor a boca.... já percebi que com o avançar dos meses a saga continua. Somos sempre nós. Não é que me importe, mas sabia bem às vezes alguns segundos

Lipa disse...

Pois.. Há coisas que nunca mudam... Mas eu cá em casa tenho uma menina do papá!

**SOFIA** disse...

é por essas e por outras que eu oh: aqui tudo se divide :D

recentemente escrevi sobre esses dramas,,,

http://redondaquadrada.blogspot.com/2010/10/as-nossas-vidas-e-as-opinioes-dos.html

Vânia e Mariana disse...

loooooooooool, sem duvida que me divirto imenso a ler os teus posts.... :)

Beijinhos,

Sofia disse...

LOOOL
Cá em casa é o contrário!
Talvez porque saiba que comigo eu é que mando, o pai é muito mais flexível...Logo, chama sempre o pai porque sabe que vai conseguir o que quer, ao passo que eu sou mais "antes quebrar que torcer!".
Bjocas

Muxagata disse...

Que giro!! Muito bom!!!! Como sempre...
"Mamas sem pingo de leite" ou de qualquer outra coisa... :-D Pelo menos no meu caso...
É por isso que eu insisto!! Há que habituar os maridos fazer de papas dedicados, mesmo que durmam ferrados!!! Eu também sei dormir ferrada se quiser :-D
Beijinhos e obrigada pelos posts!!

Mami ( Sónia ) disse...

HIHIHIHIHIHIHIHIHI Cá por casa é igual.
Beijos

Mami ( Sónia ) disse...

HIHIHIHIHIHIHIHIHI Cá por casa é igual.
Beijos

Isa disse...

como eu te entendo bem..... lá em casa é a mm coisa!

Margie Velma (Marta Antunes) disse...

Olá! Desculpa a intromissão, até é a 1ª vez que paro no teu blog mas o que eu me ri com este post!!! Identifiquei-me tanto com a conversa das mamas eheh muito bom! Bjs e felicidades

Sílvia disse...

Adoro, mas adoro mesmo, ler o que escreves... e neste post... já estou farta de rir.
É que a realidade é assim mesmo... mesmo para mim, que não dei mamas na primeira filha :)
Mas temos mamas... e só isso diz tudo.

Beijinhos

Daniela disse...

Olá!

Só hoje descobri o seu blog! Fartei-me de rir com este post! Tenho uma menina de 7 meses e a história é a mesma! Ainda dou de mamar, quero ver quando deixar de dar a mama se o paizinho dela se vai levantar alguma vez de noite! Quero, quero! :)
Felicidades para os seus três pequenitos e que continuem sempre a chamar pela mãe que nós estaremos sempre lá!
Beijinhos,

Daniela