domingo, 25 de julho de 2010

A saga da chupeta parte II, III e IV

Como aqui já expliquei, as minhas miúdas têm uma certa dificuldade em agarrar a chupeta.

Como também já expliquei, isto para mim era novidade porque o Vicente só começou a aceitar a chupeta com 7 meses. Ora nessa altura já ele se sentava sozinho sem apoio nenhum, quanto mais encontrar a chupeta a meio da noite.

Nunca, com o Vicente, eu me levantei a meio da noite apenas para lhe enfiar a chupeta na boca.
Coisa que estou FARTA de fazer com as miúdas e, devo dizer, é desesperante levantar o meu rabinho da cama só para isso. Preferia levantar-me por uma coisa mais séria. Assim uma coisa em grande. Tipo uma grande birra. Ou para dar leite. Ou para acalmar uma cólica. Sei lá, essas coisas.

Mas não. Eu com elas levanto-me 10 vezes por noite x2 para isso: enfiar a chupeta na boca.
E de tal modo dramático que, privada de dormir, já me cheguei a perguntar se elas teriam algum problema.
Será por serem prematuras?
Será um reflexo qualquer que elas não adquiriram?
Será um problema neurológico?

Depois, com o passar do tempo, aceitei a minha sina e conformei-me.
Pensei: isto só pode melhorar porque, em breve, elas vão aprender a ir elas buscar o raio da chupeta e colocar nas suas belas boquinhas sem chatear aqui a mãezinha.

Estava enganada.
Até pode melhorar.
Mas, para já, ainda só piorou.
E muito.

Começou a piorar aí há um mês e picos, quando o calor apertou e elas entraram naquela fase de correr a cama toda e de acordarem com os pés onde eu lhes tinha deixado a cabeça e vice-versa, todas atravessadas, com as pernocas penduradas pelas grades, todas enconstadas a um canto e 5 minutos depois ao outro canto posto, etc.
Foi quando começaram a dormir em camas separadas.

E porque é que a minha vida piorou?
Porque antes eu só tinha que procurar a chupeta onde elas estavam, a passar dessa fase a cama toda era o meu universo de procura. x2, sempre x2, não se esqueçam.

A agravar a situação toda, as chupetas preferidas delas (e as minhas, porque sempre são as que elas seguram melhor), são brancas.

Portanto, não sei quantas vezes por noite, lá estou eu, com os olhos fechados pelo sono, num quarto escuro apenas com uma liz de presença azul a procurar uma chupeta branca numa cama de grades inteira. Ou melhor, em duas camas de grades inteiras.

Passei-me, grite, amaldiçoei a minha sorte, etc.
Depois animei-me e pensei que só podia melhorar.
Enganei-me outra vez.

Isto porque as meninas descobriram que giro giro era tirarem a chupeta com as mãos delas, brincarem um bocadinho com ela e depois largarem-na.
Sorte, não?
Aprenderam a tirar mas nada de a aprenderem a colocar na boquinha.

Portanto para além das vezes que eu tinha que me levantar para lhes colocar a chupeta porque elas a deixavam cair, agora também tinha que me levantar de todas as vezes que elas se lembravam de a tirar com a mão delas. x2, sempre x2.

Gritei, insultei o destino, etc. etc. etc.
Depois animei-me e pensei: agora é que só pode mesmo melhorar!

Voltei a enganar-me.
A Maria abriu hoje um novo capítulo na saga da chupeta.

Atirá-la para fora da cama.
Só esta noite foram duas vezes.

Da primeira vez pensei que foi um acaso.

Ela choramingou, eu levantei-me a correr para ela não acordar a irmã, corri a cama toda à procura da chupeta e nada.
Irritei-me, ela ameaçava chorar em breve.
Acendia a luz, procurei, procurei, procurei até que a vi.
No chão.

Lá vou eu à casa de banho, passa por água, mete na boquinha da menina.
Deito-me e ainda não tinha conseguido adormecer quando ouço a porcaria da chupeta a cair outra vez no chão.
Ainda não percebi como é que ela faz aquilo.
Até porque ela continua a dormir como uma princesa.
Se a atira por cima.
Se mete o braço por entre o protector das grades e a deixa cair.
Só sei que agora a moda cá em casa é atirar chupetas ao chão a meio da noite.
Já não bastava ter que procurar nas camas todas, agora tenho que procurar no quarto.
Quando elas a deixam cair, quando a tiram com a mão, quando a atiram ao chão.

E agora já não acredito que só pode melhorar.
Não sei como é que ainda pode piorar mais, mas sei que vai piorar.
Oh se vai...

11 comentários:

Maria João disse...

Loool, desculpa mas tive de me rir!! Aconteceu, e ainda acontece, o mesmo comigo mas só tenho 1 filha!! Mas eu arranjei um truquezinho que é deixo sempre umas 3 chupetas penduradas no mobile da caminha e ela já sabe que lá estão e para mim tb é mais fácil pois não tenho que percorrer a cama à procura da dita cuja.

Mami disse...

Não está fácil assim...Eu já sofria com a minha filha por causa disso e era só uma quanto mais com duas, deve ser mesmo de loucos!!!!
Desejo-te boa sorte e muita paciência! E lembra-te como elas são fofinhas:) Era o que eu pensava para não me passar de vez lol
Beijokas

Marta Mourão disse...

Acho que existem umas chupetas com luz fluorescente, se não me engano são da avent. Pode ser que ajudem quando a luz está apagada.
Isso de não agarrar a chupeta também não sei qual é a razão, mas o meu também nunca a agarrou. Inicialmente pensava que como ele tinha nascido às 37 semanas, podia não ter desenvolvido o acto de sucção, depois achei que não, que ele chuchava de maneira diferente e que a língua não encaixava na chupeta. Agora... agora sei lá! Acho que ele não agarra e pronto!! Mas pelos vistos é mais comum do que pensamos.
Parabéns pelos filhos (mãe coragem!) e pelo blog. Adorei os posts!

Rute disse...

Hilariante, mas para ti não tem graça nenhuma. Sofri do mesmo problema com o meu filhote, não tão grave, mas a solução que encontrei foi comprar uma série de chuchas e ele dormia rodeado delas, por isso quando a chucha caia da boca, tinha sempre uma por perto. As chuchas da Avent flourescentes, são óptimas para se ver no escuro.
Deixo-te o relato da minha experiência.
beijokas e parabésn pela tua linda família.

lidia disse...

:)))))))

MUITO BOM!!!

Devias escrever posts destes todos os dias!

É chato, mas não deixa de ser engraçado :)))

Maria Vicente disse...

Coisa mais boa ler-te, adoro.
MAs olha as que algume ja deixou pelo menos uma ajuda, compra daquelas luminosas, pelo menos ajuda. Mais tarde melhora, por exemplo quando começam a saber colocar na boca podes espalhar várias pela cama que alguma elas apanham, eu fiz isso com a mais crescida e funcionou.
Boa sorte

Lena disse...

Ora como tb tenho 2 e a saga era idêntica, cá vão algumas dicas para aliviar:
1) chupetas amarradas a uma fralda de pano: dificilmente caem da camaesão muito mais fáceis de encontrar (por todos)
2) várias chupetas espalhadas pela cama
3) uma caixa cheia de chupetas ali mesmo à mão; assim só tens que procurar qd acabar o stock dessa noite!
Nós teriamos umas 15 chupetas das mais variadas e todas para os 2... ía facilitando.

Beijos e boa noite

martabatista.com disse...

a Helena tem uma cuhpeta fluorescente da chicco (mas acho que a avent também tem) e usa-a de vez em quando mas não é a preferida...
também atira para fora da cama... e eu ao principio andava às escuras a apalpar o chão (que range...) depois comecei a por 3 chupetas na cama à volta da cabeça dela e ela lá se safou... agora gosta é de a esconder e vir dizer "n'tem".... e eu tenho de a descobrir...
imaginar isto a dobrar...é dose

jmalho disse...

:-))))

e que tal várias chupetas nas camas! ou pelo menos várias numa caixinha junto as camas para não ter de andar à procura de madrugada

Bjos

Deia disse...

Vais ver que é agr que vai melhorar!
Entretanto, boa sorte na "caça" às chupetas.
bj

Rraimundo disse...

Pois é, dar de comer à minha Maria ainda é um filme: montes de gaudanapos sujos, o cabelo dela e a roupa num estado lastimável, brinquedos quase a boiar no prato da sopa... enfim! A chupeta, ah! isso foi outro filme. Ela como n se mexia muito e muito menos para apanhar a chupeta, durante a noite acordava a chorar, la ia eu, tal como tu, de olhos fechados e bem escuro a apalpar a cama para encontrar o raio da chupeta. Depois como reparamos que ela de noite n mudava de posição (coisa que agora ate faz demais!)arranjamos um esquema de colocar a chupeta e uma toalha por baixo que se caisse ficava mesmo ali a beira da boquita, pelo menos já n tinha q procura-la pa sabia onde caia. isto são mesmo coisas de mães!(sim pq o pai dormia como se nada fosse!)