domingo, 1 de maio de 2011

Ser mãe

Há as dores do parto.
E depois há as noites mal dormidas.
E aquelas em que nem chegamos a conseguir dormir.
Os choros intermináveis e sem explicação.
As cólicas. O leite para fora.
Mudar lençóis e pijamas a meio da noite.
As tosses, as febres, as preocupações.
As fraldas que temos que trocar quando acabamos de as trocar.
A roupa sempre suja e babada e a cheirar a leite.
A nossa e a deles.
Depois há as sopas e as papas espalhadas por todo o lado.
Nós de colher na mão, eles de bocas fechadas.
As birras para sentar na cadeira.
As birras para entrar no banho.
E para sair.
Depois há os armários abertos.
As panelas no chão.
Os CD´s todos espalhados.
E riscados.
E partidos.
Os livros e as revistas amachucados e semi-rasgados.
As dores nas costas com os primeiros passos.
O medo das quedas.
As birras por tudo e por nada.
E em todo o lado: no carro, no supermercado, na escola, nos restaurantes, nas festas.
O bater do pé.
As correrias para chegar a todo o lado: à piscina, à festa dos amigos, ao parque infantil.

Depois, imagino eu, surgem outras coisas.
A escola, os amigos.
Os trabalhos de casa.
Fazer contas de matemática e rever os verbos de português.
Ao mesmo tempo que se prepara o jantar e se enche a banheira para o banho.
Preparar o futuro.
Depois as saídas: as idas ao cinema com amigos, mais tarde as discotecas.
As noites outra vez mal dormidas à espera.
As preocupações.
Ai os acidentes, ai as companhias, ai as tentações.
Os estudos.
Os primeiros amores. Dolorosos, secretos.
O dizer “estamos aqui”.
Depois as faculdades. Perto.
Ou longe, sempre longe.
As casas, as propinas, os livros, as deslocações.
Os cartões e as contas no banco.
Os empregos ou a falta deles.
Depois um amor mais sério.
Mais tarde os netos.
Outra vez as noites mal dormidas.
A disponibilidade total.
Para ir buscar à escola.
Para ir levar.
Ou simplesmente disponibilidade para esperar que, quem sabe, talvez nos peçam alguma coisa.
A vida a complicar-se.
O tempo a encurtar.
O nosso a aumentar.
A ausência.
A distância.
Os cabelos brancos.
Todos brancos.
Uma fotografia deles bebés ao nosso colo.
O telefone que nem sempre toca.
A nossa porta que nem sempre se abre.
A solidão.
O fim.

Mas o que é isto, tudo isto, perante o simples segundo em que dura um beijo?




14 comentários:

Didi e Pepe disse...

lindo

felix dia da mae!!

plena disse...

Ai,já näo basta eu tar hoje sentimental,viestes tu com este texto.Mázinha...mas prontos...adorei lê-lo .Bjs da LP e companhia e um feliz Dia da Mäe a triplicar :)))!

Isa disse...

lindo.... estou de lagrimano canto do olho.... talvez pk estou prestes a ser novamente mãe... e tenho enchido o meu Rod de beijos... e é tao bom!

abotelho disse...

Adorei!!!
Bom dia da Mãe!!!
Bjoca

Anónimo disse...

LINDO, LINDA, LINDOS LOLL

caty disse...

Lindo Raquel
Um feliz dia da mãe

Mamã Vanda disse...

Lindíssimo e totalmente verdadeiro

Mariana disse...

Parabéns vindos de uma mãe de uma só filha de 27 anos! E envio-lhe os parabéns não só pelo dia de hoje, como também pela pela qualidade dos seus textos que revelam a fibra de uma Mãe com muita energia. Quase que disse tudo sobre o que ainda o que aí vem, faltou-lhe acentuar as dores das primeiras saídas com eles a conduzir o próprio carro... Um grande beijinho pelos filhos lindos que tem!

Gulliver disse...

Feliz dia da mãe, vezes 3 :)

disse...

Feliz dia da Mãe!...
=)

Lúcia disse...

lindo. feliz dia

Martinha disse...

Fizeste-me chorar. Em poucas palavras ...é a vida! bjinho

Isabeluisa disse...

Este texto fez-me mesmo ficar com a lágrima no canto do olho.Também tenho 3 filhos... mas raparigas. Eu já estou na segunda parte. Já passei as noites mal dormidas...primeira e segunda parte...as preocupações das companhias, das saídas e agora k sou avó...adoro partilhar todos os momentos dos meus tesouros (um menino 4 meses e uma menina de 8 meses) Parabéns pela famíla que tem. parabéns pela forma como lidam com as peripécias da vida parabéns por partilhar tudo que de bom tem .. O AMOR, A TERNURA E A FELICIDAE que todos têm no rosto. Mil bjs e muitas felicidades.

Anónimo disse...

Lindo...a lagriminha apareceu...também sou mãe de 3 filhos lindos, 2 dos quais gemeos!